Resenha: O Que Há De Estranho Em Mim – Gayle Forman

O_QUE_HA_DE_ESTRANHO_EM_MIM_1449881330541218SK1449881330BO Que Há De Estranho Em Mim (Sister in Sanity)
Gayle Forman
Editora Arqueiro, 2016
224 páginas
Skoob

Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade.

Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão.
Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquecem.

Hello gente! Como está sendo o final do mês? Para mim voouuu…

Hoje vamos conversar sobre o lançamento da Arqueiro, O Que Há De Estranho Em Mim, da Gayle Forman, mesma autora de “Se Eu Ficar” e “Para Onde Ela Foi”. Nunca li nada dela e também não assistir os filmes, então tudo é novo para mim. Logo que peguei no livro já reparei nessa capa diferente, me sugerindo vários tipos de tramas dentro das páginas.

Brit é uma jovem de 16 anos, boa filha, teimosa, mas aos olhos do pelo pai e da madrasta, ela tem sérios problemas. Seu cabelo é preto com rosa ou rosa com preto, dependendo da perceptiva, tem o corpo tatuado e é guitarrista/cantora na banda Clod. ♫♫  E é justamente com a música, que Brit encontra uma válvula de escape para superar algumas questões, como o abandono da mãe e o segundo casamento do pai com uma mulher que é o oposto da mãe.

A história tem início quando Brit é enganada pelo próprio pai em uma viagem ao Grand Canyon, no meio do caminho ele desvia da rota e a leva para a Escola de Reabilitação Red Rock, especializada em adolescentes com problemas e transtornos psicológicos. A questão é que Brit não tem problema, pelo menos não um que precisasse de ajuda profissional especializada, mas sua família não entende assim.

Com o tempo a nossa protagonista percebe que não está sozinha, várias meninas da escola foram enganadas também e na verdade não tinham nem metade dos distúrbios que todos alegavam. Mas como provar que elas estão bem e que o problema era os pais, que queriam filhos perfeitos?

‘Sempre dance conforme a sua própria música’, era o que mamãe costumada dizer para mim. E era assim que ela levava sua vida também. Portanto, eu não saí dos trilhos. Apenas escolhi trilhos diferentes.

Os motivos para elas estarem internadas a força na clinica eram absurdos, como ser gay, ser gordinha e gostar de comer, ter ficado com o mexicano que limpa piscina e por aí vai… e as coisas ainda ficam mais incoerentes, pois Red Rock afirma que tem a cura gay, a solução para emagrecer e deixar de ser “piranha” aos olhos dos pais. Como? Através de insultos e autodepreciação! O lugar que deveria ajudar, fazia o contrário, tentava destruí-las. E o pior que dentro existiam meninas com problemas reais com drogas e tentativas de suicídio, mas era claro que a instituição não tinha o menor preparo para ajudar essas jovens.

E isso por quê? Porque ela era uma garota que um dia tinha sido magrinha e depois teve a ousadia de engordar? O que cada uma de nós havia feito para estar ali? Cassie gostava de meninas mais do que achavam que deveria. Bebe gostava de meninos mais do que deveria. V pensava em morte mais do que deveria. E eu? Por que é que estava ali? Porque era mais parecida com a minha mãe do que deveria? Porque assustava meu pai mais do que deveria?

Gayle Forman traz uma história que nos faz refletir, quem são as pessoas com problemas na realidade? As que são diferentes do padrão imposto pela sociedade e que não fazem mal a ninguém ou as que aceitaram viver dentro desse modelo? Através dos personagens internados em Red Rock, observamos os vários adjetivos que insistimos em rotular as pessoas: gorda, rebelde, piranha, gay… estereótipos usados para desqualificar aqueles que são diferentes do que os outros esperam. E no livro ainda encontramos uma reflexão nas entrelinhas, essa inferiorização e humilhação é praticada principalmente com as mulheres, a cultura machista está impregnada na sociedade.

Esse foi meu primeiro contato com o trabalho da Gayle Forman e eu estou apaixonada pela destreza e talento para desenvolver uma história de um jeito simples, mas com temas complexos de se tratar. A edição da Editora Arqueiro está impecável com páginas amarelas, bom espaçamento e fonte das letras confortável para leitura. Abaixo algumas capas de vários países.

fdfdfd

Se você já conhece o trabalho da autora, não deixe de conferir a história. Mas se como eu será o seu primeiro contato, me conta depois o que achou.

Barrinhadivisoria2_zpsb656bfb6

Anúncios

60 comentários sobre “Resenha: O Que Há De Estranho Em Mim – Gayle Forman

  1. Eu adoro a Gayle, os livros dela são incríveis. Eu havia lido uma resenha desse livro e havia ficado em dúvida, mas gostei de suas colocações, vou procurar para comprá-lo também, depois de tudo que li da Gayle, aposto que esse livro deve ser muito bom mesmo. Parabéns pelo post, beijão! 😀

    Curtir

  2. Suzzy queria adorei saber sua opinião sobre a leitura. Pelo que ando lendo na blogsfera esse livro tem agradado geral. A tempos tinha vontade de conhecer o trabalho da autora e foi lendo Eu estive aqui, lançamento anterior da autora também pela Arqueiro que descobrir o que vc destacou: a autora tem um jeito todo especial em falar e porque não dizer gritar assuntos polêmicos que precisam ser discutidos. Ela estimula o leitor a formular sua opinião sobre determinado assunto que acontece próximo de nós, mais do que imaginamos. Com certeza esse e os outros livros da autora já estão na minha lista de desejo.
    Parabéns pela leitura e pelo ótimo texto. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    Curtir

  3. Oi Suzzy, não sei pq não tenho interesse nos livros dela, apesar de ter amado o filme. Essa premissa me deixou curiosa, principalmente porque é a segunda resenha que eu leio e que elogiam a simplicidade e a destreza da autora.. Quem sabe eu leio um dia ne?
    Beijão, Mari Scotti

    Curtir

  4. Realmente esse livro está dando o que falar hahaha
    Ultimamente é o que mais vejo resenhas sobre. Nunca li nada da autora, mas esse livro me chama mais atenção do que Se eu ficar e mesmo assim não tenho muita vontade de lê-lo mesmo com todas as críticas positivas que ele vem recebendo :/
    Pude perceber seja na sua resenha como em outras que ele é intenso, gosto de leituras assim, mas sei lá.. Quem sabe um dia eu o leia.
    Ótima resenha 🙂

    Curtir

  5. Olá Suzzy,
    Fico feliz em saber que, em seu primeiro contato com a autora, você já se apaixonou. Meu primeiro contato com ela não foi tão bom, mas não desisti.
    Já garanti meu exemplar desse livro e estou bem curiosa em relação a leitura. Quero saber o que as meninas fazem nessa escola e quais as medidas que elas tomarão.
    Adorei sua resenha e ela só me instigou ainda mais para ler.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    Curtir

    • Hello Bruna!
      Eu também sou como você! Se eu não gosto de um livro de algum autor, tento mais uma vez um livro diferente…
      Acho q você vai gostar de “O que há de estranho em mim”, vi gente que não gostou de “Se eu ficar” falando bem desse livro da resenha.
      Me conta depois se gostou.
      Beijos

      Curtir

  6. não tive contato ainda com a escrita de Gayle, mas gostaria de começar justamente por esse título… Acredito que vou curtir a história, pois a premissa me deixou bastante intrigada… imagino o horror que as personagens passam nesse lugar…

    Curtir

  7. Olá, ainda não li nada da autora, mesmo tendo os dois livros que você mencionou. Nessas últimas semanas tenho lido diversas resenhas sobre essa obra e a cada dia fico mais interessada em conferir um pouquinho mais desta história.

    Beijokas da Quel ¬¬

    Curtir

  8. Eu até hoje amei todos os livros que li da Gayle e esse está na minha lista de desejados. É uma história bem bacana mesmo para se questionar a sociedade e os padrões que ela impõe como normalidade .
    Fiquei indignada ainda mais como o pai a largou na clínica e mentiu para ela sobre uma viagem. Não sendo honesto em nenhum momento.
    Bj
    camila Bernardini Coelho

    Curtir

  9. Oi!!

    Eu confesso que já li uma resenha em algum blog desse livro, nunca li nada da autora, porém já vi o filme seu eu ficar e não achei isso tudo. Ao se tratar desse livro em questão o mesmo aborda assuntos polêmicos e atuais, fazendo o leitor entender que não existe nada anormal em ser diferente, em ter um “estilo”. Se tudo for isso que estou imaginando é algo bom, que levará todos que adquirirem a obrar a refletirem sobre suas posições, preconceitos e outros tabus estipulados pela sociedade.

    Beijos!

    Curtir

    • Hello!!
      Você é como eu, não li nada da Gayle antes e o filme muitas pessoas falam que não é tao lindo assim…
      “O que há de estranho em mim” me conquistou pela escrita e pelo tema, acho que se for começar a ler as obras dela poderia ser por aqui.
      Se for ler depois, volta para me contar.
      Beijos

      Curtir

  10. Oi Suzzy!!!
    Ainda não li nada da Gaylen Tb, e olha que tenho a duologia de Se ela ficar na estante hahhahahha, já li algumas resenhas dessa obra e ela me parece encantadora! Mas me sinto na obrigação de dizer que nenhuma delas ficou tão clara quanto à sua! Parabéns pela resenha, foi uma das melhores que li até agora dessa obra.

    Beijokas

    Curtir

  11. Oie!
    Eu já li todos os livros da Gayle publicados aqui no Brasil, e esse foi o que não me conquistou totalmente. A história é boa, delicada, emocionante, mas para mim, Eu estive aqui foi um dos melhore livros. Mas essa história é uma ótima indicação.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    Curtir

    • Hei Carla!
      “Eu estive aqui” fiquei bem curiosa para ler depois que conheci o trabalho da Gayle!
      Sabe que você gostou mais dos outros me anima a ler todos dela, ainda mais que eu gostei tanto de “O que há de estranho em mim”.
      Beijos

      Curtir

  12. Olá, assim como você, ainda não tive a oportunidade de ler nada da autora, mas sempre vejo elogios sobre sua obra. Mas eu sinceramente não curti tanto essa história, achei muito adolescente para mim, mas acho que trata de uma temática bastante interessante para quem está nessa fase, acredito que leve a boas reflexões. Bjs

    Curtir

  13. Pingback: Livros lidos em Fevereiro 2016 | Livros e Sushi

  14. Olá!

    Eu li e me emocionei com a história! Conheci a Gayle ao ler Se Eu Ficar (recomendo) e me apaixonei por ela. A história é maravilhosa, tem uma mensagem forte, que muitos podem se identificar. E esse é o primeiro livro que ela escreveu!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    Curtir

  15. Oiiii

    não li esse livro ainda, mas acho meio deprimente né? que bom que tu gostou e já que gostou da escrita da autora, leia Se eu Ficar e Para Onde Ela Foi, são lindos também….e olha que eu não gosto de romances hein!

    bjs

    Curtir

  16. Oii
    Eu sou completamente apaixonada pela escrita da Gayle!!!
    Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas estou louca para lê-lo.
    Sua resenha está show!!! Se vc amou esse, leia os outros tenho certeza que a paixão ficará ainda maior hahaha

    beijos

    Curtir

  17. Muito legal! É impressionante como as diferenças realmente são vistas na maioria das vezes como problemas e defeitos. O modelo educacional predominante no mundo ainda é deficiente no que diz respeito ao preparo das pessoas para lidar com as diferenças e para enxergá-las com respeito e tolerância. Esse livro parece ser capaz de fazer as pessoas refletirem sobre esse tema tão importante com uma história interessante e cativante. Fiquei com vontade de lê-lo!

    Curtir

    • Helloooo Wilson!
      Fiquei feliz demais com o seu comentários e que bom que se interessou pela história.
      Está faltando respeito nesse mundo e as pessoas tem medo do diferente e acabam machucando as pessoas que amam ao invés de tentar entendê-las.
      Depois te empresto o livro.
      Beijos.

      Curtir

  18. Oxe eu jurava que já tinha comentado na sua resenha; mas enfim adorei saber sua opinião sobre essa leitura e fico feliz que a autora tenha te conquistado logo no seu primeiro contato com a escrita dela. Por enquanto só li Eu estive aqui e com certeza o que mais chamou minha atenção foi a forma como a autora chama atenção para temas importantes no nosso cotidiano como: suicídio, depressão, preconceitos etc sem apelar para um carga dramática desnecessária. Pelo contrário ela inspira o leitorL deixando atento e alerta para ajudar aqueles que o cercam. Enfim parabéns pela leitura. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    Curtir

  19. Oie, tudo bom?
    Acho que essa é a primeira resenha que leio desse livro e a premissa dele é bastante interessante. Nossa sociedade vive presa a termos e preconceitos, que acabam com a imagem de alguém e depreciam as pessoas. Uma pena que muitas vezes esses insultos são feitos pelos próprios pais, que não conseguem dialogar com seus filhos. Livro com uma ótima temática e que fiquei curiosa para ler.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    Curtir

    • Heiii!
      Que bom que gostou e se interessou pelo livro da Gayle. Gostei muito do livro e a reflexão é sutil, mas com impacto grande, pois estamos constantemente passando pelo julgamento da sociedade.
      Depois que ler, me chama para gente papear hehe
      Beijos

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s