Resenha: A Vida dos Elfos – Muriel Barbery

A_VIDA_DOS_ELFOS__1447256421527077SK1447256421B

A Vida dos Elfos (The Life of Elves)
Muriel Barbery
Editora Companhia das Letras, 2015
288 páginas
Skoob

Maria e Clara são jovens órfãs ligadas por dons secretos. A chegada de Maria traz prosperidade à granja francesa onde é criada, enquanto Clara, crescida em uma aldeia do sul da Itália, é enviada a Roma para desenvolver sua veia musical prodigiosa. Cada uma à sua maneira, as duas garotas se comunicam com um mundo misterioso, que garante profundidade e beleza à vida humana, mas, ao mesmo tempo, oferece uma ameaça grave contra a nossa espécie. Só Maria e Clara poderão combatê-la.
Neste romance de atmosfera inesquecível, a autora do best-seller internacional se aventura pela fantasia para fazer um elogio do encantamento, da poesia e da natureza.

Hello pessoal, tudo bem?

Hoje vou falar de um livro da literatura francesa, escrito pela Muriel Barbery, autora best-seller.

O livro A Vida dos Elfos é o terceiro da autora e nele conhecemos Maria e Clara, duas jovens órfãs, que possuem dons peculiares. As duas aparecem em lugares distintos e começamos a acompanhar a vida delas, que apesar da distância, estão intimamente ligadas.

Maria surge em uma fazenda no interior da Espanha, onde os moradores do local são como uma grande família, apesar de não terem o mesmo sangue. Logo que encontram a jovem, a acolhem como uma deles. O aparecimento dela não foi desapercebido e as pessoas começaram a notar que sua presença é associada a várias mudanças na região, como uma boa colheita, abundância de animais para caça e maior prosperidade nas outras atividades da região, é como se ela fosse aquele sopro de bonança na vida dos nativos. Por ter crescido em uma fazenda, Maria sempre esteve em contato com a natureza e que a atraía para estar perto dos animais e em meio ao verde.

Clara foi deixada na porta de uma igreja em uma aldeia do sul da Itália. Sua convivência se dava principalmente com o padre e sua empregada, em que eles a tratavam como filha, sempre com muito carinho e zelo. Porém, por viver nesse ambiente mais recluso, Clara se tornou mais reservada e muito observadora e tomou gosto por contemplar por horas as paisagem naturais da região.

Todos levavam a sua vida normalmente, até que um dia o irmão do padre levou um piano ao acaso para a igreja. Clara logo que o viu ficou fascinada, ainda mais por ser muito diferente do órgão ao qual estava acostumada a ouvir. E o mais impressionante é que sem ninguém ensiná-la, ela começou a tocar como se tivesse estudado por anos, a melodia fascinava e intrigava a todos. Para aperfeiçoar o dom, ela foi levada a Roma para ter aulas com o Maestro, mas na verdade essa viagem foi o início das descobertas sobre as suas origens e sua ligação com Maria.

11018444_1076898342384143_1302878129_n(1)

A natureza, como podemos perceber, está muito presente no livro e nas suas formas de manifestar através do dom das meninas. Através dela, as duas se comunicavam com um mundo desconhecido e com isso se tornaram uma esperança para o perigo que ameaçava os humanos, em que apenas as duas órfãs poderia combater.

A escrita da Muriel Burbery foi difícil para mim, nunca tinha lido algo da literatura francesa e seu estilo clássico com o uso de palavras rebuscadas e arcaicas me impediram de me conectar com a história. Por várias vezes terminava de ler um parágrafo, mas não conseguia absorver o que ela queria transmitir e com o passar das páginas me senti um pouco perdida. O jornal Le Figaro compara a autora com a J.K Rowling e Jules Verne, o que não consegui ver as semelhanças nos trabalhos. Talvez por tratarem de fantasias em suas obras, tenham feito a comparação, mas a fantasia do livro A Vida dos Elfos é diferente, ela é poética, buscando resgatar a magia natural das coisas com elementos contemporâneos.

Quando li a sinopse, interpretei que seria uma história fantástica, com magia e ação, um dos meus gêneros preferidos. No entanto a fantasia fica em segundo plano, o que me frustrou um pouco, a linguagem poética é predominante e vários elementos são explorados em demasia, e os personagens por vezes falavam em códigos para instigar o mistério do livro, mas que para mim atrapalhou a compreensão da história. Espero que a minha opinião não te desanime a conhecer a história, pois o livro não é ruim, li várias criticas bem positivas, eu que não me adaptei ao estilo.

O trabalho da Companhia das Letras está impecável, a capa criada remete ao piano de Clara em meio a natureza, com um fundo bronze. O livro é narrado em terceira pessoa, com páginas amarelas e a fonte confortável para a leitura.

A Vida dos Elfos faz parte de uma série com dois volumes, mas o segundo livro ainda não foi lançado na França. Sobre a autora, Muriel Burbery é francesa e nasceu em 1969. Seu primeiro livro “A morte do gourmet” foi traduzido para 12 idiomas. Já o seu segundo livro “A Elegância do Ouriço” vendeu mais de 6 milhões de exemplares e é um best-seller. Ambos foram publicados aqui no Brasil pela Companhia das Letras.

Para quem quiser conhecer mais sobre a obra, foi feita uma entrevista com Barbery durante o lançamento do romance na França (tradução de Rosa Freire d’Aguiar). Texto original aqui.

Resenha feita por mim e publicada também no blog Meu Mundinho Fictício.

Barrinhadivisoria2_zpsb656bfb6

 

Anúncios

36 comentários sobre “Resenha: A Vida dos Elfos – Muriel Barbery

  1. Quando comecei a ler a resenha fiquei maravilhada com a história. Mas quando você expos que foi uma leitura um tanto complicada para você eu fesanimei confesso. Comparada a minha amada J.K. eu já não concordaria nem mesmo por conta do gênero mas isso sou eu né? Kkkk
    O que eu saberia. RS.
    Mas de qualquer forma sua resenha esta muito boa. Você soube expor o que achou e o que se refere a história. Parabéns.

    Beijos.

    Curtir

  2. Olá
    Tal como você eu também sempre tenho dificuldades com uma literatura mais arcaica, mas com o tempo vamos nos adaptando não é? Quando comecei a ler sua resenha, também estava esperando uma trama fantástica com fantasia, mas como você disse que fica em segundo plano fiquei um pouco desanimada. O trabalho da editora esta mesmo excelente pelas suas fotos, eu acho que não leria esse livro agora e futuramente quem sabe? Mas indicaria ele a uma amiga que eu tenho certeza que não iria ficar desapontada.
    Sua resenha está maravilhosa, parabéns!

    Abraços,
    http://colecoes-literarias.blogspot.com.br/

    Curtir

  3. Pena que o livro tenha te desanimado, pela premissa eu achei que fosse bem ao pé da letra no gênero fantasia.
    Sua resenha ficou ótima, pois mesmo o livro não tendo sido de total compreensão, você buscou focar nos pontos fortes em sua resenha e isso me deixou curiosa em conhecer a história.,, já está na meta de leituras.

    Curtir

  4. Acho que vale muito a pena pegar uma obra que nos tire da zona de conforto. Uma pena você ter tido dificuldades com a leitura em sim, mas que bom que conseguiu chegar até o final dela, que não desistiu.

    Sua resenha ficou ótima e, para quem não entendeu bem o livro, você falou muito bem dele.rs.

    Curtir

  5. engraçado que eu li a resenha e fiquei ‘já vi esse texto em algum lugar’ hahahahaha
    ai no final quando vc fala que publicou em outro blog, lembrei e fui conferir se tinha comentado nele, e comentei mesmo heheheh
    enfim, a poética do livro foi o que me deixou mais instigada ainda pela leitura [como falei anteriormente]… acredito que eu vá curtir o livro, amo literatura francesa e a premissa me deixou bastante curiosa…
    bjs ^^

    Curtir

  6. Também nunca li nada da literatura francesa, mas sei por causa da faculdade que a escrita deles é complicada e de difícil entendimento,

    de qualquer forma, gostei da tua resenha sabe, mesmo com os pontos negativos (na minha opinião) parece ser uma história legal….fantasia é sempre legal né???

    bjs

    Curtir

  7. Suzzy, adorei a sua resenha!
    Eu não conhecia esse livro, mas fiquei encantada quando você começou a falar sobre ele. No entanto, amante de fantasia como sou, fiquei meio desanimada quando soube que a fantasia fica em segundo plano na história. Mesmo assim, por causa da linguagem poética que você mencionou, fiquei muito curiosa.
    Já foi pra minha lista de desejados e darei uma chance assim que tiver a oportunidade.

    Beijos!

    Curtir

  8. Ei, tudo bem?
    Fiquei bem curiosa para ler o livro, por conta do título e da sinopse. Mas fiquei desanimada por saber que a fantasia contida na história foi colocada em segundo plano, pois isso é o que mais me instigou a querer ler. Apesar disso, ainda fiquei curiosa e pretendo dar uma chance mais para frente, porque estou curiosa de conhecer a literatura francesa, que nunca li.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    Curtir

  9. A história tem um ar encantador ❤ sua resenha me fez querer ler MUITO a história de Maria e Clara. Que capa linda ❤ amo esse tom de amarelo. Pretendo ler, já anotei o nome!

    Curtir

  10. Eu adoro histórias com Elfos desxd que conheci o Senhor dos Anéis… São seres que eu admito muito no gênero fantasia e que acho que ainda é pouco explorado.
    Acredito que o fato da autora ser poética e arcaica na sua escrita tenha um pouco a ver com seus personagens. Pois você pode ver que os Elfos tom poético mesmo.
    Nunca li, ou não me recordo agora, literatura francesa é apesar dos pontos negativos que citou eu me animei em ler esss livro.
    Bj
    Camila Bernardini Coelho

    Curtir

  11. Olá!

    Nunca li nada com elfos, mas eu daria uma chance só porque ela é francesa. Adoro a literatura francesa, têm grandes nomes. Apesar da escrita rebuscada, acredito que eu absorveria bastante da leitura, adoro livros rebuscados. Adorei a resenha!

    Curtir

  12. Olá… me surpreendi com a sinopse e com a sua resenha, nunquinha, olhando somente a capa e o título, imaginei que seria uma história tão interessante, me deixou muito curiosa para saber o final. Mas tenho que confessar que detesto ler um livro que tem continuação que não foi lançada. Então vou esperar lançar TUDO para poder ler do COMEÇO ao FIM!!! =)

    Parabéns
    Keyla Vilela
    Blog Leituraterapia – http://www.blogleituraterapia.com.br/

    Curtir

  13. Oi, Suzzy!

    Adorei a premissa dessa história! Imagino que seja uma leitura mais complexa e melhor utilizada para quando não tivermos pressa de ler.

    Mas estou adicionando o título para livros futuros.
    Achei muito interessante. 🙂

    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s